Como os dados são obtidos

A definição metodológica mais importante na constituição da base de dados é a de sua unidade de análise. O grupo de pesquisa foi definido como um conjunto de indivíduos organizados hierarquicamente:

  • Cujo fundamento organizador são a experiência, o destaque e a liderança no terreno científico ou tecnológico;
  • Em que há envolvimento profissional e permanente com atividades de pesquisa;
  • No qual o trabalho se organiza em torno de linhas comuns de pesquisa; e
  • Que, em algum grau, compartilha instalações e equipamentos. 

Cada grupo de pesquisa deve, portanto, organizar-se em torno de uma liderança (eventualmente duas), e estar "abrigado" em uma instituição previamente autorizada pelo CNPq.

O fluxo geral do cadastro e da certificação de um grupo de pesquisa envolve os dirigentes de pesquisa, os líderes de grupos, pesquisadores, estudantes e técnicos, e ocorre da seguinte maneira:

  1. A instituição interessada solicita a sua participação por intermédio de seu Titular e indica o Dirigente de pesquisa e um Assessor, que serão os responsáveis pela gestão do Diretório na instituição;
  2. O CNPq analisa a solicitação e, se aceita, comunica aos interessados e libera o acesso aos responsáveis indicados. Estes cadastram os líderes de grupos da instituição, liberando, por sua vez, o acesso dos mesmos ao Formulário Grupo;
  3. Os Líderes acessam o Formulário Grupo para preenchimento dos dados e envio ao CNPq;
  4. O responsável pelo DGP na instituição (Dirigente de pesquisa) visualiza os grupos enviados pelos Líderes e certifica ou nega a certificação dos mesmos;

Para que tudo isso aconteça, é necessário que:

a) As autoridades institucionais envolvidas (Titular, Dirigente de pesquisa e Assessor) possuam cadastro no Diretório de Instituições-DI do CNPq <http://di.cnpq.br/di/cadi/consultaInst.do> e possuam uma Senha CNPq;

b) Dirigentes, Assessores, Pesquisadores, Estudantes, Técnicos ou Colaboradores estrangeiro, tenham seus currículos Lattes no CNPq.

Os líderes podem atualizar os dados de seus grupos sempre que julgarem necessário, excluir os grupos que não estiverem mais ativos e cadastrar novos grupos. Por sua vez, os pesquisadores, estudantes e técnicos devem manter seus currículos atualizados e podem se auto-excluir de um grupo onde foram indevidamente cadastrados ou do qual não mais participam.

Esse processo contínuo, ou seja, a inclusão de novas instituições pelo CNPq, o cadastro de líderes e a certificação de grupos pelos dirigentes, a atualização e o envio de novos grupos pelos líderes e a atualização dos Currículos Lattes por todos os participantes (de onde o CNPq extrai informações como formação acadêmica, sexo e a produção C,T&A) formam a denominada Base Corrente do DGP, que é disponibilizada para consultas na Internet.

De dois em dois anos, o CNPq tira uma "fotografia" dessa base corrente para a realização de Censos e disponibiliza seus resultados na Internet.